quarta-feira, 23 de abril de 2008

AIRTO FOGO


Achei esses disco esses dias, até achei que era alguma coisa do Airto Moreira. 
Trata-se de um artista bastante desconhecido do funk francês (ou seria canadense?), que lançou apenas esse album em 1976 na França e no Canadá, e um single em 72.
Excelent trabalho de sopro, moog e clavinet.
Não existem muitas informações sobre esta banda/artista, inclusive quem souber mais , ou tiver o single de 72, por favor mande para ocavalo23@gmail.com que terei prazer de editar e adicionar no post.
Curiosidade: a música "Black Soul", do single de 72,  fez parte da trilha sonora internacional da novela Cuca Legal, de 75. Na trilha nacional, estava também a música Linha do Horizonte do Azymuth.








12 comentários:

Fiume420 disse...

Postei esse mesmo disco no meu blog e fiquei igualmente intrigado com a escassez de informações a respeito do Airto Fogo.

Assistindo a um documentário tempos depois sobre o músico e arranjador brasileiro Waltel Branco (que fez, dentre outros, o arranjo do tema da Pantera Cor de Rosa quando trabalhou com Henry Mancini), ele admitiu que um de seus pseudônimos era Airto Fogo.

Ele diz que trabalhava na TV Globo dos anos 60 e 70 e era responsável pelas trilhas internacionais das novelas, e pra esconder sua nacionalidade ele criava pseudônimos. "Pra enganar gringo", como ele mesmo diz.

O documentário é esse:
http://www.portacurtas.com.br/pop4_160.asp?cod=3287&exib=5407

Rocinante disse...

Baita dica.

Vãmos nessa, onde tem fumaça tem fogo.

Ábraço

Cavalo Ruivo disse...

Fiume420, fico muito honrado de ter um comentário seu no nosso blog. Coloquei um link pro blog República do Fiume faz 2 dias, muito impressionado com a qualidade dos textos e com os discos
Eu também vi uma entrevista na internet com o Waltel Branco falando nisso, mas não quis acreditar. Em vários sites dizem que Airto Fogo é frances ou canadense, portanto achei que era uma coincidência do nome. Até porque Waltel se limitava a usar um pseudônimo para fazer 1 ou 2 músicas para alguma trilha de novela, não pensei que ele iria tão longe a ponto de fazer um disco. Mas admito que achei muito parecido os arranjos de sopro com os que faziam Oberdan e o pessoal da Black Rio.
Um de nosso colaboradores, o Xucro, tem um programa numa rádio AM aqui de Porto Alegre onde entrevista vários nomes "esquecidos" ou não da música brasileira. Ele já se prontificou de procurar e entrevistar Waltel Branco, e tirar essa dúvida. Esperemos! Grande abraço e um salve pelo República do Fiume.

Cavalo Tião disse...

Que veneno hein, tche?!?!?! Excelent equino!!!!!

gersonvolkart disse...

Que petardo de disco. musicas e qualidade de gravação. METALEIRAS, TECLADEIRAS, SWINGUEIRAS, GROOVE TOTAL. Ja to com uma copia pra ouvir puxando minha carroça no finde. valew a dica Ruivo. muito bom essa historia de compartilhar alfafa, ainda mais sendo da boa. CAVALO CRIOULO

Cavalo Alucinant disse...

Bixo! Eu ixtou perrrpleto! Conheço o Waltel a muito tempo pelo disco "Mancini Também é Samba", de 1966 e o "Guitarra Bossa Nova" de 1963. Mas não imaginava a ligação dele com o funk. No curta, o Ed Motta comenta com o Waltel sobre um outro disco na onda soul. Acho que pode ser nossa próxima busca.

Fiume420 disse...

é tanto cavalo que me faz pensar se não tem uma Quetamina largada por aí...

se o programa de rádio com o Waltel rolar, por favor, tente saber quais os outros pseudônimos que ele usava.. tenho uns 4 vinis do Cuca Lugal só por causa da Black Soul, essas trilhas de novela são bem baratas...

animal o blog de vocês (!), parabéns

Xirú disse...

Olá olá!
Primeiramente, parabéns pelo blog! já o frequento a tempos e é show!

Bem, quanto ao Airto fogo...
A supervisão musical da Cuca Legal éra do Waltel, que fazia os arranjos para a orquestra da Som Livre, de modo que todas as músicas creditadas a essa orquestra, sem mais autores, são dele. O Pseudônimo foi usado justamente por esta musica ser da trilha INTERNACIONAL, que não podia ter um brasileiro como autor.
Entendo as dúvidas, fora o single Jungle Bird Black Soul, que é do Waltel, esse album aqui é estranho...mas se ouvimos as músicas podemos constatar que o estilo é W. Branco na veia, de modo que tenho certeza que é dele. Mostrei pra ele o comentário que você fez no blog dele, e ele disse que sabe das gravações, mas não o questionei muito...Agora no dia 11 vou estar novamente com ele e dai pergunto exatamente como é a história desse disco, e se esse é dele mesmo (além do Black Soul).
Abraços,
Guilherme

Xirú disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tonton Décibel !!! disse...

holla amigo

i m from france

all the story is here :

http://pt.wikipedia.org/wiki/Waltel_Branco

a bientot mon ami , superbe blog

Cavalo Alucinant disse...

O lance é que o Airto Fogo é o baterista francês, Sylvain Krief, que atualmente tem o projeto Babalao Jazz Timba (tem no YouTube, procure sabê).
Essa história em volta do Waltel veio através do documentário "Descobrindo Waltel". Nele, o maestro Julio Medaglia pergunta ao Waltel sobre os vários supostos codinomes usados por Waltel, principalmente nas trilhas internacionais feitas para a Rede Globo.
Nesta pergunta, Medaglia cita vários nomes, dentre eles, Airto Fogo. Waltel confirma com um tom de "não me lembro de todos os nomes, nas se tu estás dizendo, deve ser".
Waltel comenta que o ritmo de trabalho de composição era frenético e por isso não tinha como se lembrar de detalhes das composicões e/ou gravações. (isso sem Nem mesmo falar no nome de Airto Fogo).
Na vontade de descobrirmos detalhes sobre o disco e o artista, acabamos embalando neste mal entendido.
Entretanto, não existem mais duvidas de que Sylvain Krief é o verdadeiro Airto Fogo.
Até onde sei, ele tem idéia de retomar este projeto.
Feitoria!
Cavalo Alucinant.

Tonton Décibel !!! disse...

yes the true story now available ,

it's not walter branco

wiki is wrong !

http://www.wegofunk.com/Airto-Fogo-Docteur-Krief-Mister-Fogo_a3855.html