terça-feira, 14 de outubro de 2008

Tom Jobim - Matita Perê - 1973







Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim; Maestro soberano.
Carioca, nascido em 25 de janeiro de 1927 e falecido em 8 de dezembro de 1994.
Compositor, pianista, violonista, maestro, arranjador e cantor, é considerado um dos maiores nomes da música popular mundial e um dos principais criadores do movimento "Bossa Nova", no final dos anos 50.
Venho postar um disco de fundamental importância na carreira de Tom Jobim, o “Matita Perê”.
Disco gravado em janeiro de 1973 e lançado no mesmo ano, retrata bem a fase em que Tom se aprofundou nos estudos sobre a cultura brasileira, a fauna e a flora, e principalmente sobre as aves e a mata atlântica. A letra da música Águas de Março aborda de forma direta estas pesquisas que ele vinha fazendo. Aliás esta música já tinha sido gravada pela Elis Regina um ano antes, em 1972, e foi regravada pelos dois no clássico "Elis e Tom" um ano depois, em 1974.

As primeiras gravações do Matita Perê chegaram a ser feitas no Rio de Janeiro, mas não satisfeito com o resultado, Tom preferiu regravar tudo em New York, nos estúdios da Columbia. O disco conta com com arranjos do Alemão Claus Orgeman, com quem ele já havia trabalhado em outros discos como o “Francis Albert Sinatra e Antônio Carlos Jobim” em 1967.
Trate-se de um disco experimental, com bastante orquestra, bem progressivo, com músicas mais longas e tristes, onde Tom começa a mostrar seu talento também como letrista, já que a maioria de suas músicas dos anos 50 e 60 eram letradas por vários parceiros de composição.

Os músicos que participaram das gravações do Matita Perê foram:

Tom Jobim – Voz, Violão e Piano
João Palma e Airto Moreira – Bateria e Percussão
Harry Lookousky – Spalla

Claus Orgeman – Arranjos e Regência
Eduardo Athayde - Direção de produção
Frank Laico - Engenheiro de som




Tom Jobim: O maior compositor brasileiro de todos os tempos.

7 comentários:

Rocinante disse...

Um disco superior.
Não tinha tido a oportunidade ainda de ouvi-lo.
Um curso de orquestração.
Tem que respeitar esse Claus também.

E o Tom Jobim sem palavras.
Valeu a pastagem.

Cavalo Ruivo disse...

Acho a afirmação "Tom Jobim: O maior compositor brasileiro de todos os tempos" uma desnecessária intenção de polemizar vinda do nobre colega de blog. Mas tudo bem, parabéns pela postagem de grande nível e pela ajuda em manter o blog ativo, embora eu não concorde plenamente com a sentença proferida.
Grande abraço.

Rocinante disse...

"Raul Seixas: o maior compositor da história do Brasil"

"Arnaldo Baptista: mesma frase"

A relinchada é livre.
E vâmo que vâmo!

Com essa, o cavalo23 já ultrapassa a marca das 50 pastagens.

Seguindo no páreo! dá-le ô

Cavalo Baio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cavalo Tião disse...

Chicavalo, é nessas horas que eu percebo que tu não é esse bobo que aparenta! Excelent pastagem que já era aguardada há tempos! Parabéns!

douglass disse...

Hello

A very good album, thanks again.

I got another from Jobim, Vinicius, Toquinho y Miucha : They play live all together at the svizzera television in 1978.

here: http://blog-o-blog-douglass.blogspot.com/2009/11/jobim-vinicius-toquinho-con-miucha.html


DOUG

douglass disse...
Este comentário foi removido pelo autor.